Apaixonados por animais

Cães Filhotes

Alimento Super Premium x Alimento Premium

Os Primeiros alimentos industrializados que surgiram no Brasil, na década de 70, foram os de combate. Embora já existam há bastante tempo, ainda hoje conservam as mesmas características: níveis nutricionais mínimos, ingredientes de baixo custo e qualidade, formulação variável (o que significa que na ausência de um dos ingredientes, ou na inflação de seu preço, os fabricantes substituem por outro de qualidade próxima, podendo ocasionar diarréias e além de má digestão do alimento) e fontes vegetais de proteína e gordura. São comercializados principalmente em canais não especializados (supermercados, por exemplo) a preços extremamente acessíveis. No entanto são alimentos de baixa densidade nutricional obrigando assim o animal a ingerir uma grande quantidade para se sentir saciado e assim receber o mínimo de nutrientes necessários através do produto o que torna a relação custo/benefício desvantajosa.

Na década de 80 apareceram produtos mais elaborados, chamados de alimentos do tipo Premium, com níveis nutricionais superiores aos produtos de combate, mais palatáveis e com controle de qualidade e matéria prima um pouco mais rigoroso. Porém, seguia a mesma filosofia nutricional de formulação variável e utilização da maior parte de ingredientes de origem vegetal. Além disso, acrescentaram diferenciais como corantes e aromas “culinários” artificiais além de formatos que buscavam unicamente agradar aos olhos dos proprietários de cães e gatos, sem agregar valor nutricional algum ao alimento.

Os alimentos Super Premium são originários na década de 90, e a PremieR pet foi pioneira no lançamento desta linha no Brasil. Apresenta os avanços nutricionais mais recentes e tecnologia de produção moderna, agregando ingredientes de alta qualidade além de suplementos nutricionais que a longo prazo oferecem maior qualidade de vida ao animal e conseqüentemente, maior longevidade. São vendidos em sua maioria, em canais especializados (clínicas veterinárias, pet shops e casas de rações), apresentam valor nutricional e focam na qualidade dos ingredientes e performance dos animais nos diversos estágios de vida. Os alimentos Super Premium apresentam custo benefício melhor, por proporcionam alta digestibilidade e densidade energética permitindo alta qualidade e nutricional além de uma menor ingestão de alimento. Além disso, reduzem o risco do aparecimento de doenças nutricionais no decorrer da vida de cães e gatos.

Você sabia?

Alimentos Super Premium apresentam níveis nutricionais mais elevados, atendendo não somente aos requerimentos nutricionais mínimos estabelecidos pelo Conselho de Nutrição Animal do NRC (National Research Council) e AAFCO, como também estados fisiológicos mais exigentes, tais como reprodução, treinamento e recuperação de estados patológicos de cães e gatos. Os níveis nutricionais ótimos devem estar em equilíbrio entre os níveis mínimos e máximos apresentados pela AAFCO (Association of American Feed Control Officials); Esses níveis são determinados por pesquisas “in vivo”, que buscam condições ótimas de pelagem, desenvolvimento de musculatura e, principalmente, otimização de performance na reprodução e no sistema imunológico.

Meu cão deve comer o mesmo que eu?

Nunca se esqueça que o cão tem hábitos e necessidades nutricionais muito diferentes dos seus. O cão é um carnívoro como o lobo, seu parente mais próximo na natureza. Isso significa que ele aproveita muito melhor as proteínas e gorduras de origem animal. Já os seres humanos são onívoros, ou seja, aproveitam bem tanto os ingredientes de origem animal quanto vegetal. Portanto, não forneça ao seu cão os alimentos que você consome.

Devo suplementar a alimentação do meu cão?

A alimentação deve fornecer todos os nutrientes essenciais ao bom desenvolvimento de seu filhote. Há alguns anos as rações não forneciam todos estes nutrientes, assim os veterinários tinham que prescrever suplementos vitamínicos e minerais. Atualmente, a maioria dos alimentos dispensa tais suplementações.

Dê preferência aos produtos de qualidade Premium e Super Premium que não necessitam de nenhum tipo de suplementação e se caracterizam pela maior concentração de nutrientes (energia, proteína, minerais, vitaminas, por Kg de alimento) e melhor digestibilidade, promovendo maior assimilação destes nutrientes. Dessa maneira, cães alimentados com esses produtos mais concentrados, comerão menor quantidade, pois sendo mais concentrado, produzirão fezes em menor volume e com menos odor, pelagem mais bonita e saudável, além de melhor performance.

Quantas vezes por dia devo alimentar o meu filhote?

Uma vez que o filhote se alimenta várias vezes ao dia e em pequenas quantidades, recomendamos alimentá-lo 3 a 4 vezes por dia até atingir 6 meses de idade, quando então reduziremos para 2 refeições diárias.

Qual é a quantidade correta de alimento que devo fornecer ao meu filhote?

A quantidade de alimento fornecida a seu cão varia em função do peso, idade, nível de atividade física e quantidade de energia disponível no alimento. No verso da embalagem você encontrará a sugestão de consumo diário do alimento. Outra maneira de obter esta informação mais precisa é através do Pet Phone (0800 55 66 66).

Não ofereça comida à vontade ao seu cão, saiba que ele poderá comer uma quantidade muito superior à recomendada, predispondo à obesidade Além disso, o excesso de nutrientes poderá acelerar demasiadamente o ganho de peso e ocasionar problemas ósseos em animais jovens de raças grandes/gigantes como Dogue Alemão, Rottweiler e Fila Brasileiro, por exemplo.

É necessário adicionar água ou leite ao alimento?

Recomendamos a adição de água somente para a Papinha Desmame que deve ser oferecida para filhotes de 21 a 60 dias de idade (3 a 8 semanas). A partir dessa idade o filhote já está apto a ingerir alimentos secos, que auxiliará na limpeza dos dentes e prevenir a formação do tártaro. Uma vez umedecido, o alimento deverá ser consumido nos primeiros 40 minutos, pois após este período ele poderá fermentar, com proliferação bacteriana, podendo causar diarréia no seu filhote.

Por quanto tempo posso deixar a comida no comedouro?

Até cerca de uma hora, quando então deverão ser retiradas as sobras de alimento.

Eventualmente o cão poderá “pular” algumas refeições, mas leve-o ao veterinário se ele recusar 3 refeições seguidas ou apresentar alguma alteração como vômito e diarréia, por exemplo.

Posso oferecer petiscos para o cão?

A educação alimentar é estabelecida nos primeiros meses de vida. Portanto, evite dar “docinhos” e outros petiscos ao seu cão. Os cães são animais bastante inteligentes. A necessidade de variar a alimentação é um comportamento tipicamente humano.
Saiba as diferenças entre os alimentos, Clique aqui >