Capa > Home > Curiosidades sobre os Gatos

Curiosidades sobre os Gatos

Características gerais dos gatos

O nome científico do gato é Felis catus (Filo Chordata ; Classe Mammalia ; Ordem Carnivora ; Família Felidae). Com exceção da Antártica, Círculo Ártico e Austrália, todos os continentes possuem felinos semelhantes aos gatos em sua fauna original.

O gato tem um instinto de caça muito forte. Normalmente os gatos não comem suas “vítimas”, preferindo brincar com elas ou mostrar para os donos. Em se tratando da sua relação com os humanos, há dois tipos de gatos. O gato que podemos chamar de “manso”, que teve contato pessoas desde pequeno e aprendeu a interagir com a nossa espécie sem considerá-la uma ameaça. Eles gostam de estar perto de gente, subir no colo, receber longos carinhos. Outro tipo de gato é aquele que não se deixa aproximar de um ser humano sob nenhuma hipótese. Esses gatos, chamados “ariscos”, mantêm uma distância segura da nossa espécie, porque durante toda a sua infância ficaram isolados do nosso convívio. Os gatos “ariscos” muito raramente irão se acostumar com humanos, mesmo que ambos vivam sob o mesmo teto muitos anos.

Uma coisa típica de cachorro é obedecer. Uma coisa típica de gato é não obedecer. Simplesmente o gato não acha que tenha que fazer o que não está a fim e nem chega a ser “rebelde”, porque não percebe o que você quer. Você chama o gato para dentro de casa, por exemplo, e se ele estiver fazendo algo interessante, ele não vem. Mesmo assim, é possível induzir o gato a fazer o que você quer em determinada circunstância, mas não através de uma ordem.

Da mesma forma que os cachorros, os gatos também foram selecionados através de cruzamentos, o que provocou a existência de muitas raças de gatos. A constituição física deles varia bastante, por exemplo, o Maine Coon, é uma raça de gatos gigantes, que pesam pelo menos o dobro dos gatos “comuns”. Também há diferenças entre o formato de seus crânios. A diferença entre os cachorros e os gatos é tão grande que a comparação entre eles não parece muito útil, salvo quando alguém está procurando um animal de estimação e está na dúvida entre qual deles vai escolher. Nesses casos, a escolha certa é a que considera as características de cada espécie, procurando encontrar o animal que melhor se adapta às condições oferecidas pelo proprietário.

Aprenda a conviver com seu gato

Os gatos são excelentes companheiros, com a vantagem adicional de não precisarem de atenção integral. O gato se contenta em ficar ao seu lado, mesmo enquanto você está ocupado com outras coisas. Eles não necessitam de grandes espaços para viver, vivendo tranquilamente em um apartamento.
Ao contrário dos cães, os gatos não se deixam “possuir” com facilidade. O afeto do gato precisa ser conquistado. Ee não tolerará um mau dono, em função de um senso de lealdade equivocado, mas reconhecerá um dono atencioso e compreensivo, retribuindo com amizade e respeito. É preciso entender sua natureza e tratá-lo adequadamente.
Todos os felinos exibem um ar aristocrata nato. Estudos genealógicos do gato doméstico apontam como seus antepassados os mais inteligentes, sutis, perigosos, graciosos e valentes mamíferos do planeta. Dócil quando comparado com um puma, o gato de estimação ao contrário dos outros animais, é independente por instinto, resquício de seus ancestrais selvagens.

Veja alguns benefícios de se ter um gato

Os estudos comprovam que pessoas que têm animais de estimação tendem a apresentar e demonstrar menos estresse quando comparadas com aquelas que não têm animais. Além disso, possuir um gato pode satisfazer um desejo de alimentar e cuidar de um outro ser vivo. É importante lembrar também que os gatos são animais ótimos de convívio, sossegados, independentes, muito carinhosos e higiênicos.

Você sabe quais são os tipos sanguíneos dos gatos?

Os gatos apresentam apenas 3 grupos de sanguíneos que são: A, B e AB, porém há uma maior predominância dos gatos tipo A.

Você sabe qual o tempo de vida normal dos gatos?

A grande maioria dos gatos vive em média 11 a 12 anos, porém, é importante ressaltar que isto é uma média, já que este tempo de vida está diretamente relacionado com o estilo de vida do animal. Um exemplo, seria a diferença do tempo de vida de um gato que mora dentro de casa, que pode chegar a viver até uns 18 anos (na média), e outro que mora na rua que normalmente chega aos 8 anos.

Você sabe como os gatos entraram para casa e se espalharam pelo mundo?

Os gatos teriam entrado em casa há, aproximadamente, 4000 anos a.C. com a finalidade de expulsar os roedores que destruíam as colheitas. Os primeiros locais onde isso ocorreu foi Pérsia, Índia e o Antigo Egito. Posteriormente, com a circulação dos comerciantes através dos mares, os gatos atingiram a Grécia, o Império Romano e a Europa Ocidental.
Atualmente, muitas pessoas têm admiração pelos gatos e esta razão tem algumas supostas explicações:

  • O tipo físico, desenvoltura e outras particularidades como olhar e agilidade, além de sua simbologia;
  • Sua naturalidade, beleza, independência e personalidade;
  • Seu estilo de vida que se adapta muito bem as pessoas que trabalham durante o dia todo e também as que moram em apartamentos. O gato é um animal totalmente autônomo, higiênico e companheiro.

Gato e o mito das sete vidas

A crença pode ter surgido quando se observou que os gatos conseguiam suportar diversos preconceitos, além de acidentes e maus tratos. Quanto ao número sete, seria pelo fato de que é um cabalístico. Portanto, tal crendice tenha sido originada por causa do clima de mistério e magia que sempre rondou a vida dos gatos durante toda a história.

Curiosidades da História

  • Os gatos já foram chamados de agentes de Satã e mortos como bruxos;
  • No Antigo Egito quando um gato morria, os donos da casa raspavam a sobrancelhas em sinal de luto;
  • Na coroação da Rainha Elizabeth I, gatos foram aprisionados dentro de gaiolas e levados em procissão, representando o demônio sob controle da Igreja. No final da procissão foram queimados vivos;
  • Milhares de múmias de gatos foram encontradas no Antigo Egito em 1889, 20 toneladas delas foram levadas à Inglaterra, moídas e utilizadas como esterco;
  • Todo navio pirata tinha com certeza um gato e nem sempre um papagaio;
  • Na Casa Branca, os gatos também são populares, George Washington, Abraham Lincoln, Rutherford, Theodore Roosevelt e Bill Clinton possuíam gatos.

Algumas notícias curiosas

  • O gato mais pesado do mundo era Himmy, um gato australiano que chegou a pesar 21 Kg em 1986 e tinha uma cintura de 84 cm.
  • O gato mais leve do mundo foi um himalaiano de Illinois, que pesava apenas 800 g e media 18,4 cm de comprimento e 7 cm de altura.
  • O gato mais velho do mundo foi o inglês Puss, que morreu de 1939, um dia após ter completado 36 anos. Já a gata mais idosa era também inglesa e morreu em 1957, aos 34 anos.
  • Os gatos têm cerca de 100 sons vocais ao contrário dos cães que apresentam apenas 10.
  • Um gato pode ficar vários dias sem comer, caso o alimento não lhe agrada, e pode até morrer de fome.
  • Os felinos podem chegar a dormir até 16 horas por dia, divididas em vários períodos. Isto quer dizer que um gato de 7 anos só esteve realmente acordado durante dois anos.
  • O gato tem 245 ossos, enquanto que o homem tem 206 no total.
  • Quando o gato está assustado, seu pelo se eriça por todo o corpo. Quando ele vai atacar, o pelo se eriça apenas numa estreita faixa dorsal.
  • O gato pode alcançar uma velocidade de até 50 km/h.
  • Os gatos esfregam o rosto em objetos e pessoas para marcá-los com seu cheiro. O cheiro é produzido por glândulas localizadas na parte anterior do rosto.
  • Um gato enxerga 6 vezes melhor do que um humano à noite, porque necessita de 1/6 da quantidade de luz necessária para o homem enxergar.
  • Gatos têm 30 dentes, enquanto os cães possuem 42. Os dentes de leite são substituídos pelos permanentes, por volta dos 7 meses de idade;
  • Quase 10% dos ossos dos gatos se encontram na cauda, e esta é responsável pela manutenção do seu equilíbrio;
  • Um gato é capaz de pular 5 vezes a sua altura;
  • Gatos possuem 32 músculos que controlam suas orelha. Ele pode girar suas orelhas, independentemente, quase 180 graus, e 10 vezes mais rápido do que o melhor cão de guarda;
  • Por natureza, o gato é solitário e, portanto, não tem necessidade de viver em grupos. Ele considera o homem mais um companheiro do que seu “dono”.
  • Não corte os pelos do bigode de seu gato, pois são órgão táteis dele.
  • O gato possui um equilíbrio extraordinário. Numa queda, ele gira o corpo ainda no ar e cai sobre as patas, o que demonstra a flexibilidade e robustez de esqueleto. Porém, se a queda for de um lugar muito baixo, não haverá tempo suficiente para se virar; se ela for de um lugar muito alto, poderá ferir-se seriamente.
  • A alergia nos humanos é causada por uma proteína presente na saliva do gato que é depositada nos pelos durante as lambidas com que os gatos se limpam.
  • A erva do gato (catnip), também conhecida como “maconha do gato” é muito utilizada em arranhadores e brinquedos, pois após cheirar esta erva o gato chega a um estado de quase êxtase; pula, rola, dá saltos, sendo assim, muito atrativa para o seu gatinho. Mas ao contrário das drogas humanas, o catnip não produz danos à saúde do gato.
  • Os gatos são mais ativos durante a noite.
  • Gatos têm excelente visão noturna, porém não distinguem bem as cores.
  • A audição do gato é superior à do homem, porém ele é incapaz de diferenciar dois sons vindo da mesma direção.
  • O ditado “a curiosidade matou o gato” originou-se pelo fato de que o gato, apesar de cauteloso, é um dos animais mais curiosos que existe.
  • O ditado “o gato comeu sua língua” surgiu de uma história bastante antiga a respeito de um rei que gostava de impor duras penas aos seus prisioneiros. Este rei era um admirador de gatos e, um certo dia, tendo ao lado seu gato preferido, mandou cortar a língua de um feliz prisioneiro e deu-a de presente ao bichano, que a comeu satisfeito.

X
Premium Ou Super Premium

Todas as rações alimentam o animal, mas nem todas ajudam a manter a saúde, a qualidade de vida e a beleza, pois não possuem as mesmas propriedades. O que muda entre essas categorias?

  • Tabela Comparativa
  • os alimentos premium no brasil

Standard

Premium/Premium Especial

Super Premium

Origem Década de 70 Década de 80 Década de 90 (A PremieR pet foi pioneira)
Níveis
Nutricionais
Mínimos Formulações mais completas e balanceada com níveis nutricionais acima do mínimo recomendado Formulações mais completas, concentradas com níveis nutricionais ótimos
Ingredientes Ingredientes de baixo custo e qualidade Matérias Primas de boa qualidade nutricional Matérias primas de máxima qualidade e presença de ingredientes especiais que promovem benefícios extras à saúde
Formulação Variável Fixa Fixa
Consumo, aproveitamento e volume de fezes Alto consumo, baixo aproveitamento e fezes mal formadas e em grande volume Consumo intermediário, bom aproveitamento e fezes em menor volume: firmes e fáceis de recolher Menor Consumo entre as categorias, máximo aproveitamento e fezes em menor volume: firmes e fáceis de recolher
Saciedade
Foco Preço baixo Custo-Benefício Promover saúde, longevidade e qualidade de vida.

Os Primeiros alimentos industrializados que surgiram no Brasil, na década de 70, foram os produtos atualmente chamados de linha de combate. Embora já existam há bastante tempo, ainda hoje conservam as mesmas características: níveis nutricionais mínimos, ingredientes de baixo custo e qualidade, formulação variável (o que significa que na ausência de um dos ingredientes, ou na inflação de seu preço, os fabricantes substituem por outro de qualidade próxima, podendo ocasionar diarréias e além de má digestão do alimento) e fontes vegetais de proteína e gordura.

A linha de combate é comercializada principalmente em canais não especializados (supermercados, por exemplo) a preços extremamente acessíveis. No entanto são alimentos de baixa densidade nutricional obrigando assim o animal a ingerir uma grande quantidade para se sentir saciado e assim receber o mínimo de nutrientes necessários através do produto o que torna a relação custo/benefício desvantajosa.

Na década de 80 apareceram produtos mais elaborados, chamados de alimentos do tipoPremium, com níveis nutricionais superiores aos produtos de combate, mais palatáveis (mais sabor) e com controle de qualidade e matéria prima um pouco mais rigoroso. Porém, seguia a mesma filosofia nutricional de formulação variável e utilização da maior parte de ingredientes de origem vegetal. Além disso, acrescentaram diferenciais como corantes e aromas "culinários" artificiais além de formatos que buscavam unicamente agradar aos olhos dos proprietários de cães e gatos, sem agregar valor nutricional algum ao alimento.

Os alimentos Super Premium são originários na década de 90, e a PremieR pet foi pioneira no lançamento desta linha no Brasil. Apresenta os avanços nutricionais mais recentes e tecnologia de produção moderna, agregando ingredientes de alta qualidade além de suplementos nutricionais que a longo prazo oferecem maior qualidade de vida ao animal e conseqüentemente, maior longevidade. São vendidos em sua maioria, em canais especializados (clínicas veterinárias, pet shops e casas de rações), apresentam valor nutricional e focam na qualidade dos ingredientes e performance dos animais nos diversos estágios de vida. Os alimentos Super Premium apresentam custo benefício melhor, por proporcionarem alta digestibilidade e densidade energética permitindo alta qualidade nutricional além de uma menor ingestão de alimento. Além disso, reduzem o risco do aparecimento de doenças nutricionais no decorrer da vida de cães e gatos.

Ração PremieR pet: Alimento para cães e alimento para gatos

Você sabia?

Alimentos Super Premium apresentam níveis nutricionais mais elevados, atendendo não somente aos requerimentos nutricionais mínimos estabelecidos pelo Conselho de Nutrição Animal do NRC (National Research Council) e AAFCO, como também estados fisiológicos mais exigentes, tais como reprodução, treinamento e recuperação de estados patológicos de cães e gatos. Os níveis nutricionais ótimos devem estar em equilíbrio entre os níveis mínimos e máximos apresentados pela AAFCO (Association of American Feed Control Officials); Esses níveis são determinados por pesquisas "in vivo", que buscam condições ótimas de pelagem, desenvolvimento de musculatura e, principalmente, otimização de performance na reprodução e no sistema imunológico.

X