Gatos Filhotes – Dicas de Saúde

Escolhendo seu filhote

Existem mais de 40 diferentes raças de gatos no mundo. Cada raça possui não só a aparência como diferencial, mas temperamento e personalidade distinta. É importante, na escolha do novo filhote, levar em consideração características como temperamento do gatinho, nível de atividade e suas necessidades. Gatos com pêlos longos são bastante atraentes, porém necessitam de cuidados especiais quanto à pelagem que precisam ser escovados diariamente. Os gatos machos são territorialistas e delimitam seu espaço através de marcações com a urina. As fêmeas normalmente são mais dóceis do que os machos, porém apresentam o cio caracterizado pelo miado alto que lembram o choro de uma criança. É importante lembrar que um gato gera despesas de magnitude variável, como alimentação e veterinário. Outro fator importante a ser lembrado é que seu novo companheiro lhe fará companhia por 12 a 15 anos em média, podendo chegar aos 18 anos ou mais. Levando esses fatores em consideração, quando você se candidata a ter um gato, concentre-se nas características físicas e comportamentais que somadas o levam ao gato mais adequado ao seu convívio.

Preparando o ambiente

O ambiente precisa ser preparado para a chegada do novo “membro da família”, para tanto seu filhote necessitará:

  • Caixa de transporte.
  • Um local seguro, quente e tranqüilo para dormir.
  • Cama ou caixa forrada com almofada.
  • Um comedouro e um bebedouro.
  • Arranhador e brinquedos para se exercitar.
  • Coleira munida de lingüeta elástica para evitar o estrangulamento e com identificação.
  • Caixa sanitária, granulado sanitário e pá para recolher as fezes e devem ser colocados distante do comedouro e bebedouro.

É importante lembrar que se faça uma visita ao veterinário para avaliação física e adequação de um programa de vacinação e vermifugação antes de introduzir o gatinho no seu novo lar.
Os gatos de casa, se existirem, não gostarão da presença de novos gatos, pois são animais que delimitam seus territórios. Por isso, recomenda-se não deixar o novo gato em contato direto com os demais, mantendo-os dentro da caixa de transporte ou gaiola para que uns e outros se acostumem aos seus odores e estabeleçam uma relação hierárquica entre si. Depois de estabelecida a hierarquia passarão a conviver normalmente.
Para a boa adaptação de seu filhotinho é necessário que seja estabelecida uma rotina, quanto à alimentação e hora de descanso.
O filhote recém chegado necessita de bastante descanso, portanto evite acordá-lo com muita freqüência e pegá-lo no colo a toda hora.
Não deixar o filhote em locais barulhentos com muitas pessoas e não permita que crianças brinquem em demasia com o filhote ou o trate como brinquedo.
Uma vez que os filhotes são curiosos e não reconhecem muito bem os perigos que o cercam, é importante restringi-lo do acesso a fios elétricos, plantas venenosas e materiais de limpeza.

Entendendo o comportamento dos gatos e aprendendo a lidar com eles

Os gatos se utilizam na maioria das vezes, da linguagem corporal para passar suas mensagens. O que acontece é que nós, muitas vezes, não conseguimos entender estas mensagens. Por esse motivo muitas pessoas chegam a formar uma imagem errônea a respeito dos gatos, considerando-os falsos, traiçoeiros ou interesseiros. Mas tudo isso pode ser uma má interpretação do dono por não reconhecer tantos sinais do corpo quanto da voz dos felinos.
Observe seu gato; é através da observação que você irá desvendar o mistério de sua comunicação.
Segue abaixo alguns dos sinais e seus significados:

  • Arqueando as costas: O gato o faz para parecer maior. Isso pode apavorar o inimigo, sendo um sinal de repulsa.
  • Cauda solta e relaxada: demonstra tranqüilidade ou indiferença.
  • Cauda levantada: demonstra interesse.
  • Cauda ereta com a ponta balançando gentilmente: o gato está demonstrando carinho.
  • Cauda ereta com a ponta balançando rapidamente de um lado para o outro:demonstra aborrecimento.
  • Cauda no chão mexendo a ponta ocasionalmente: pode indicar que o gato está pensativo ou um pouco irritado.
  • Cauda chicoteando: Indica irritação.
  • Sinais de ameaça: pupilas dilatadas, boca aberta mostrando os dentes e emitindo som forte.
  • Sinal de contentamento: olhos levemente fechados, orelhas voltadas para frente e às vezes emitem um ronronar.
  • Bigodes inclinados para frente: Indica que ele está mal humorado. Junto com esta expressão, pode ainda ficar com as orelhas eretas dobradas para trás, que significa que está ficando raivoso.
  • Sinal de fome: geralmente ele fica sentado, o rabo abaixado, o pescoço fica erguido e esticado. Mia tristemente para alguém atender seu pedido. Já os filhotinhos quando estão com fome, choram muito parecidos com bebês. Ele vai chorar se sentir fome, frio e até se estiver longe da mãe.
  • O gato se esfrega em você: está demonstrando não só carinho como está transferindo o odor do seu corpo, reivindicando você como parte do seu território.
  • O gato deita e rola: Demonstra felicidade e satisfação.
  • O miado: Os variados miados do gato são utilizados nas diferentes situações de formas bem distintas. Portanto, com o tempo e a convivência, chega-se a um ponto em que o dono é capaz de entender perfeitamente o que o animal está querendo.
Compartilhe