Novidades

Você sabia? Alimentação inadequada é a principal causa da obesidade em cães e gatos

 

A obesidade é uma doença causada pelo excesso de gordura corporal e representa um dos problemas de saúde que mais acometem os animais de estimação atualmente. Ela é resultado de um desequilíbrio entre a ingestão e o gasto de energia e pode acarretar diversos problemas, como doenças ortopédicas, cardiorrespiratórias, diabetes, problemas urinários e outras complicações que afetam a saúde e a longevidade.

A incidência do problema é mundial. Para se ter uma ideia, estudos recentes nos Estados Unidos, Europa, Japão e China mostram prevalência de 24% a 60% de cães e gatos em sobrepeso ou obesos. No Brasil os dados são escassos, mas um estudo recente na cidade de São Paulo indica que 40,5% dos cães têm sobrepeso ou obesidade, um dado alarmante. Animais nessas situações necessitam de tratamento orientado e acompanhamento de um médico veterinário.

Principais causas e como prevenir
Para prevenir a obesidade é importante estar alerta às causas que levam à doença. De acordo com o médico veterinário Flavio Silva, supervisor de capacitação técnico-científica da PremieRpet®, os cuidados com a escolha do alimento e o manejo são pontos fundamentais para prevenir e combater o excesso de peso, por isso devem ser tratados como prioridade pelos tutores de cães e gatos.

“O excesso de petiscos e a “humanização” da alimentação são fatores recorrentes nos dias de hoje. É importante lembrar que cães e gatos não escolhem o que comer ou quantas vezes devem se alimentar, portanto, cabe ao tutor zelar pela alimentação adequada”, diz.

Confira abaixo as principais causas da obesidade:

 

Transferência de hábitos Pessoas com hábitos alimentares inadequados tendem a transferir isso ao pet.
Excesso de petiscos Os “extras” não devem superar 10% da quantidade calórica diária.
Comida caseira Não oferecer comida caseira sem orientação especializada
Ração em quantidade exagerada Importante seguir a recomendação do médico veterinário ou de consumo diário indicada na embalagem do alimento.
Humanização Animais e humanos têm necessidades alimentares diferentes e isso deve ser respeitado.
Sedentarismo Seguir recomendações do médico veterinário ao promover atividade física diária com passeios ou brincadeiras.
Idade Cães com idade mais avançada e gatos adultos jovens são mais suscetíveis.
Sexo Estudos apontam que as fêmeas têm mais predisposição ao ganho de peso. Redobre a atenção.
Castração A obesidade é mais frequente em animais castrados.
Predisposição genética Há raças mais suscetíveis, como Labrador, Beagle, Basset hound, Dachshund, Cocker etc
Distúrbios de comportamento Ansiedade por causas diversas (como solidão) pode causar um apetite voraz. Os animais precisam de atividade para manter sua saúde física e mental.
Doenças hormonais Hipotireoidismo e hiperadrenocorticismo podem levar entre outros problemas à obesidade, e uma vez diagnosticados devem ser tratados

 

Segundo o médico veterinário, é importante fazer uma avaliação nutricional completa do pet. Estudos atuais determinaram que essa prática deve se tornar rotina, pois é considerada o quinto sinal vital dos animais, ou seja, é tão importante como parâmetro de saúde do animal quanto a temperatura, frequência cardíaca e respiratória. “Somente a partir desta avaliação é que será possível indicar qual o alimento ideal de acordo com as condições clínicas do animal”, finaliza Silva.